Geral

Brasil mantém embaixada funcionando na Coreia do Norte

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 5 de abril (Folhapress) - O Itamaraty informou hoje que pretende manter, por enquanto, a embaixada brasileira na Coreia do Norte em funcionamento. No local, estão o embaixador Roberto Colin e um funcionário. O Ministério das Relações Exteriores confirmou ainda ter recebido o aviso do governo norte-coreano de que todas as representações estrangeiras terão o apoio de Pyongyang se quiserem retirar seus funcionários do país. As informações são da Agência Brasil.

O prédio da missão diplomática brasileira na Coreia do Norte possui um abrigo subterrâneo e gerador próprio e, segundo o Itamaraty, a retirada dos funcionários brasileiros está sob análise.

Em situação de emergência, a embaixada brasileira pode passar a desempenhar as atividades em Dandong, na China, que fica a quatro horas (por terra) do território norte-coreano.

A embaixada do Brasil em Pyongyang informou que os brasileiros que vivem no país são a mulher do embaixador palestino e a sua filha caçula, além do embaixador brasileiro, sua família e um funcionário administrativo.

Ontem, o ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota ressaltou a preocupação do governo brasileiro com a possibilidade de conflito nuclear na Península Coreana. "Esperamos que essa retórica se revele nada mais do que retórica e não desencadeie um conflito armado", disse ele, na audiência pública na Comissão de Relações Exteriores, no Senado.

No último dia 31, a União de Nações Sul-Americanas (Unasul), da qual faz parte o Brasil, emitiu nota expressando preocupação com a possibilidade de uma guerra nuclear entre as duas Coreias. No texto, os governos defenderam a preservação da paz e da segurança, apelando pelo diálogo como meio adequado para pôr fim às diferenças.

A embaixada foi aberta em 2009. As relações comerciais entre o Brasil e a Coreia do Norte são consideradas modestas pelas autoridades brasileiras. Mas há informações de que existem empresários brasileiros interessados em estabelecer relações econômicas e comerciais com o país. Em 2008, o intercâmbio comercial chegou a US$ 375 milhões.
 

continua após publicidade