Geral

Após estupro, prefeitura proíbe películas escuras nos vidros de vans

Da Redação ·





RIO DE JANEIRO, RJ, 5 de abril (Folhapress) - Uma semana após um casal de estrangeiros sofrer agressões em uma van no trajeto por três municípios do Rio de Janeiro -sem ninguém desconfiar da ação-, o prefeito da capital Eduardo Paes (PMDB) decretou hoje a proibição do uso de película nos vidros desse tipo de transporte. A decisão vale a partir de segunda-feira.

O prefeito alega que "as películas dificultam a visibilidade do interior do veículo, prejudicam a compreensão por parte dos passageiros quanto à ocupação dos mesmos e comprometem a segurança deles".

Segundo o decreto, os motoristas de vans que forem flagrados desrespeitando a nova norma serão multados em R$ 1.251,48 e terão o veículo apreendido.

Na manhã do último sábado, três criminosos abusaram sexualmente de uma jovem estrangeira, além de roubar pertences dela e do seu companheiro, que também foi agredido. O trio foi preso e reconhecido pelas vítimas.

Na ocasião, os agressores abordaram uma van de transporte alternativo e obrigaram que os passageiros descessem, menos o casal, em uma rua próxima a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), em Botafogo, altura da Urca, na zona sul do Rio. Em seguida, os dois foram obrigados a seguir com eles até São Gonçalo, região metropolitana.

No caminho, eles pararam em Niterói para sacar dinheiro com os cartões das vítimas. Os estrangeiros haviam entrado no transporte em Copacabana, na zona sul.
 

continua após publicidade