Geral

Vereadora petista e ex-chefe da Rota dividirão Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública

Da Redação ·





Por Giba Bergamim Jr.

SÃO PAULO, SP, 17 de julho (Folhapress) - A Câmara aprovou na noite de ontem a divisão da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública. A cisão aconteceu após mal-estar causado com a indicação do vereador Coronel Telhada (PSDB), ex-chefe da Rota (batalhão de elite da PM) para a comissão, que até então incluía os dois temas.

O pedido de divisão foi feito pela vereadora Juliana Cardoso (PT) logo no início do mandato. Vereadores petistas ficaram incomodados com a possibilidade de um ex-chefe da Rota encabeçar a comissão de Direitos Humanos. À época, Telhada disse que estava sendo vítima de preconceito. "O policial militar também preza os direitos humanos", disse.

Com a divisão, Telhada ficará na de Segurança, e a de Direitos Humanos será presidida pela petista Juliana Cardoso.

A comissão de Segurança deve acolher também a chamada "bancada da bala", formada por vereadores que atuaram como policiais militares. Além de Telhada, são parlamentares também Coronel Camilo (PSD) e Conte Lopes (PDT). A comissão será composta também por Ari Friedenbach (PPS), que teve a filha estuprada e assassinada por um adolescente.
 

continua após publicidade