Geral

Grupo armado saqueia quatro jornais e esfaqueia repórteres

Da Redação ·
Grupo armado saqueia quatro jornais e esfaqueia repórteres
fonte: Agências internacionais
Grupo armado saqueia quatro jornais e esfaqueia repórteres

SÃO PAULO, SP, 2 de abril (Folhapress) - Um grupo de cerca de 50 homens armados atacou hoje as redações de quatro jornais pequenos de Bagdá, no Iraque. Os jornais fazem oposição a um clérigo radical xiita de Karbala, cidade sagrada para a vertente islâmica. Pelo menos seis jornalistas ficaram feridos após serem esfaqueados na ação.

O editor do jornal "Al Dustour al Jadida", Bassam al Sheikh, disse que os criminosos são de um grupo radical ligado ao clérigo, que foi criticado recentemente pelo jornal tentar dominar Karbala. "Foi tão terrível que eu não pude fazer nada".

Segundo o editor, os repórteres foram atacados com bastões e facas, enquanto a mobília e os computadores do escritórios foram destruídos. Os criminosos também atearam fogo em um carro estacionado na porta do jornal.

Além da publicação de Sheikh, foram atacados "Al Mustaqila", "Al Parliman" e "Al Nas". O editor-chefe do "Al Mustaquila", Ali al Daraji, disse que 30 pessoas destruíram seu jornal e atacaram alguns jornalistas com golpes de bastões e facadas.

Eles não deram detalhes sobre o número de feridos. Segundo o Ministério da Saúde, pelo menos seis jornalistas foram internados em hospitais de Bagdá com ferimentos causados pelas facadas, sendo que um deles em estado grave.

As quatro publicações atacadas são de tamanho pequeno e médio. O maior deles é o "Al Dustour", com tiragem de 12 mil exemplares. Em um comunicado, o chefe da missão da ONU no Iraque, Martin Kobler, considerou inadmissível o ataque a jornalistas.

O Observatório da Liberdade de Imprensa, uma ONG com sede no Iraque, e Muayad al Lami, diretor do sindicato de jornalistas iraquianos, também condenaram os incidentes.
 

continua após publicidade