Geral

Advogado morre depois de bater carro em mureta no Itaim Bibi

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 29 de março (Folhapress) - Um advogado de 31 anos morreu depois de bater contra uma mureta de acesso ao túnel Takeharu Akagawa, na avenida São Gabriel, Itaim Bibi, zona oeste de São Paulo, na madrugada de hoje. Fernando Stabille Piovezan dirigia um Sonata prata por volta das 4h40 quando se envolveu no acidente, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). O carro ficou com a dianteira totalmente destruída e um pedaço da mureta foi arrancado. O advogado foi socorrido por um médico que estava próximo ao local, informou a SSP (Secretaria de Segurança Pública). Ele foi encaminhado ao Hospital São Luiz, na avenida Santo Amaro, mas não resistiu aos graves ferimentos e morreu. Uma perícia foi feita no local e ainda não há informações sobre as causas do acidente, que estão sendo investigadas, informou a Polícia Militar. O caso foi encaminhado a 3ª Central de Flagrantes e registrado como colisão e homicídio culposo na direção de veículo automotor. Policiais Dois policiais militares ficaram feridos após bater um carro da PM durante perseguição na madrugada de hoje, na zona oeste de São Paulo. Um dos policiais ficou preso nas ferragens e foi encaminhado em estado grave para o pronto-socorro do Hospital das Clínicas. Segundo a Polícia Militar, o acidente ocorreu por volta das 2h quando os PMs perseguiam dois suspeitos em uma moto na avenida José Joaquim Cardoso de Mello Neto, na Vila Olímpia. O carro da polícia bateu na moto, perdeu o controle e atingiu um muro. Os dois suspeitos ficaram feridos sem gravidade e foram encaminhados ao pronto-socorro do Hospital Piraporinha. Os policiais apreenderam a moto e um revólver calibre 38, que estavam com os suspeitos. Barretos Um vendedor ambulante de 40 anos morreu após ter sido atropelado por um motorista que, segundo a polícia, estava bêbado, na noite de ontem em Barretos (423 km de São Paulo). O atropelamento aconteceu às 22h50 na avenida 5, entre as ruas 24 e 26. Segundo a polícia, o motorista embriagado fugiu, mas só foi preso porque uma testemunha o seguiu e o denunciou à polícia. De acordo com a polícia, Ademir Aparecido da Silva, 40, andava à pé quando foi atropelado por um motorista de 34 anos. A vítima morreu no local. O motorista fugiu sem prestar socorro, mas um mototaxista testemunhou o crime e o seguiu até sua casa, quando acionou a PM. Os policiais encontraram o veículo do motorista com o vidro do para-brisas quebrado, além do capô amassado. O homem, então, foi submetido ao teste do bafômetro. O aparelho constatou 0,83 mg/l de álcool, acima do limite legal de 0,05 mg/l. Aos policiais, ele tentou negar o atropelamento, mas, segundo a PM, depois admitiu o crime. O motorista foi preso por homicídio culposo e levado para a cadeia de Severínia.  

continua após publicidade