Geral

São Carlos terá mutirão para 3.000 cirurgias eletivas

Da Redação ·

RIBEIRÃO PRETO, SP, 25 de março (Folhapress) - Um convênio entre a Prefeitura e a Santa Casa de São Carlos (232 km de SP) vai permitir a realização de 3.000 cirurgias eletivas neste ano. O número não leva em consideração as cirurgias de catarata, que deve oscilar entre 1.200 e 1.400. Segundo o secretário de Saúde, Edilson Seraphim Abrantes, o pacote contempla todas as especialidades de cirurgias eletivas. Terá prioridade quem está há mais tempo na fila ou quem apresenta quadro mais grave e necessita de urgência no atendimento. A fila de espera das eletivas, segundo Abrantes, é exatamente de 3.000 pessoas. No caso da cirurgia de catarata, o número é menor -cerca de 800 pacientes. O investimento é de R$ 9 milhões. "Houve uma reorganização de verbas em dezembro. Os recursos foram tirados de outras secretarias e injetados na saúde", disse. Araraquara A Prefeitura de Araraquara anunciou hoje que deve se reunir com os médicos da rede municipal de saúde para discutir negociações salariais caso a categoria desista da paralisação dos serviços, prevista para a próxima quarta-feira. Os médicos, que reivindicam reajuste salarial, divulgaram a suspensão das atividades na última quinta-feira pela regional de Ribeirão Preto do Simesp (Sindicato dos Médicos do Estado de SP). Entre as reclamações dos profissionais estão a suposta demora para realização de exames, condições precárias em unidades de saúde e atraso no pagamento de plantões. Segundo o secretário de Saúde de Araraquara, Delorges Mano, se os médicos abortarem a paralisação, haverá uma rodada de negociações no dia 1º de abril. "Caso contrário, a discussão será feita judicialmente." O diretor-adjunto regional do Simesp, Ulysses Strogoff de Matos, diz que o anúncio de paralisação só ocorreu porque a prefeitura não deu o reajuste de R$ 6.000 prometido verbalmente. Uma assembleia na noite desta segunda-feira vai determinar se a paralisação do dia 27 será mantida.  

continua após publicidade