Geral

Seul admite erro ao atribuir origem de ataque cibernético à China

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 22 de março (Folhapress) - O governo da Coreia do Sul admitiu hoje que se equivocou ao atribuir à China o ciberataque ocorrido na última quarta-feira, que paralisou bancos e emissoras de televisão no país.

O endereço do protocolo de internet (conhecido como IP, algo como um endereço eletrônico) atribuído ao ataque pertence a um computador da rede interna do banco Nonghyup, um dos três afetados pela pane, e foi confundido com um protocolo similar localizado na China, de acordo com a Comissão de Comunicação da Coreia do Sul (KCC).

Mesmo naquele momento era claro que o ataque poderia ter origem em outro lugar, já que hackers conseguem manipular este dado com alguma facilidade.

Depois de admitir o erro e fazer a retificação, o órgão não ofereceu novas evidências sobre a possível autoria do ataque, dizendo apenas que "não descarta nenhuma possibilidade" e assegurando que continuam mantendo a hipótese de que o ataque tenha sido originado fora do país.

Muitos analistas suspeitam que o ataque tenha sido orquestrado pela Coreia do Norte, mas o erro na identificação levanta questões sobre a habilidade dos investigadores de rastrear a fonte do ataque que paralisou 32 mil computadores e expôs grandes falhas de segurança virtual em um dos países mais tecnologicamente avançados do mundo.

De acordo com o governo sul-coreano, o país foi vítima de 40.000 ciberataques -do exterior ou do interior- em 2012, contra 24.000 em 2008.
 

continua após publicidade