Geral

Clima-Rio - (Atualizada)

Da Redação ·

Sobe para 30 o número de vítimas de temporal em Petrópolis




SÃO PAULO, SP, 21 de março (Folhapress) - O Corpo de Bombeiros do Rio informou no fim da manhã de hoje que já chega a 30 o número de mortos em Petrópolis, na região serrana do Estado. Esse é o segundo corpo localizado hoje.

O corpo foi encontrado num deslizamento da BR-40, bairro de Quitandinha, e ainda não foi identificado. O bairro foi o mais afetado pela forte chuva do último domingo.

Poucas horas antes, os bombeiros haviam encontrado o corpo da 29ª vítima. Segundo os Bombeiros, é um homem, que ainda não foi identificado, e que foi achado em meio a escombros, em um riacho próximo ao terminal rodoviário.

Segundo os Bombeiros, ainda há quatro pessoas desaparecidas. Na cidade, mais de 4.000 pessoas permanecem desabrigadas. Os temporais que castigaram a região provocaram vários alagamentos e deslizamentos de terra.

Entre os mortos em Petrópolis estão dois agentes da Defesa Civil. Fernandes de Lima, 44, e Paulo Roberto Filgueiras orientavam moradores a abandonar a área, quando uma nova avalanche arrastou um muro, que caiu sobre os dois. Eles morreram na hora. Um terceiro agente sofreu traumatismo craniano e está internado.

Para a Defesa Civil, parte das vítimas das chuvas em Petrópolis poderia ter sobrevivido se os moradores tivessem atendido ao alerta das sirenes e deixado rapidamente a área.

Em dois pontos onde houve mortes (Bingen e Lagoinha), no entanto, não havia sirenes, porque elas são classificadas como áreas de risco 3 em uma escala de 1 a 4 -os equipamentos são colocados apenas em regiões com grau máximo de risco.

O governo do Rio enviou ontem projeto de lei à Assembleia Legislativa para tornar obrigatória a inclusão de mapeamento de áreas de risco feito pelo Estado nos planos diretores dos municípios.
 

continua após publicidade