Geral

Justiça liberta médica acusada de mortes em UTI

Da Redação ·
Justiça liberta médica acusada de mortes em UTI
fonte: Arquivo
Justiça liberta médica acusada de mortes em UTI

A 2ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba acatou o pedido da defesa para a soltura da médica Virgínia Soares, acusada de antecipar mortes de pacientes na UTI Geral do Hospital Evangélico de Curitiba. A liberdade foi anunciada pela assessoria do advogado de defesa da médica nesta quarta-feira (20) e a acusada, por volta das 16 horas, já havia sido solta.

Virgínia está presa no Centro de Triagem I, ala feminina especial, em Curitiba. Ela está presa há mais de um mês desde - a prisão ocorreu no dia 19 de fevereiro, pela Polícia Civil. Outros médicos e enfermeiros acusados de envolvimento nas mortes do Hospital Evangélico também foram presos.

A médica, que era chefe da UTI Geral do hospital desde 2006, foi acusada pelo Ministério Público do Paraná por sete homicídios duplamente qualificados e formação de quadrilha.

continua após publicidade