Geral

Eleições parlamentares são marcadas para 11 de maio

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 20 de março (Folhapress) - O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, assinou hoje a ata que marca para 11 de maio a eleição que substituirá o Parlamento do país. O pleito marcará a primeira vez em que o governo consegue completar um mandato desde a independência do país, em 1947.

Em 65 anos de emancipação, todos os governos paquistaneses foram derrubados por golpes militares ou ações de insurgentes. Nos últimos anos, o país também sofre com a influência da rede terrorista Al Qaeda e do grupo armado Taleban.

O próximo pleito renovará as 342 cadeiras do Parlamento, sendo que 272 representantes serão escolhidos diretamente e outros 70 lugares serão reservados -60 para as mulheres e dez para as minorias religiosas. Entre o anúncio e a posse dos novos legisladores, o país será controlado por um governo interino.

Segundo observadores eleitorais, o Partido Popular do Paquistão, do premiê Raja Pervez Ashraf, deverá renovar seu mandato, obtido em 2008. Há cinco anos a agremiação conseguiu 121 cadeiras, enquanto os opositores, liderados por Chaudhry Nisar Ali Khan, obtiveram 91 assentos.

Aos dois históricos partidos se soma Imran Khan, o ex-jogador de críquete que nos últimos meses passou a se destacar como líder do Movimento pela Justiça do Paquistão ("PTI"), formação que pode roubar tirar votos da PML-N.

As novas eleições gerais foram confirmadas após dois anos de tensões entre o Executivo, o Judiciário e o Exército por acusações mútuas de corrupção e interferência em suas funções. A queda de braço provocou a queda do ex-premiê Yousuf Raza Gillani, que foi substituído por Ashraf em 2012.
 

continua após publicidade