Geral

Governo federal estuda criar medida contra aplicativos anti-blitz

Da Redação ·

Por Johanna Nublat BRASÍLIA, DF, 19 de fevereiro (Folhapress) - Durante coletiva que destacou a relação entre álcool e acidentes de trânsito, hoje, o representante do Ministério das Cidades afirmou que a pasta estuda medidas contra aplicativos e redes que ajudam o motorista a fugir da blitz. "O que estamos fazendo para cuidar disso? A principal coisa é uma alteração legislativa, hoje não tem nenhuma proibição que tire esses aplicativos do mercado. Há uma discussão dentro Ministério das Cidades e do Denatran [Departamento Nacional de Trânsito] para buscar uma fórmula para combater essa forma de burlar a fiscalização da Lei seca", afirmou Alexandre Macedo, ministro das Cidades interino. Nova lei seca Em vigor desde 29 de janeiro, a nova lei seca está mais rigorosa. Se o condutor for flagrado com uma taxa igual ou superior a 0,05 miligrama de álcool por litro de ar (mg/l), será autuado e multado em R$ 1.915,40, respondendo por infração gravíssima, terá a carteira de habilitação recolhida e o direito de dirigir suspenso por 12 meses. Antes, o limite era 0,1 miligrama de álcool por litro de ar. O registro de uma taxa igual ou superior a 0,34 mg/l incorrerá em crime, punível com detenção de seis meses a três anos.  

continua após publicidade