Geral

Premiê britânico rebate críticas de escritora à Kate Middleton

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 19 de fevereiro (Folhapress) - O premiê britânico David Cameron, em viagem a Nova Déli, disse serem "completamente equivocados" os comentários feitos pela escritora Hilary Mantel sobre a duquesa da Cambridge, Kate Middleton, mulher do príncipe William.

"Acredito que [Mantel] escreve grandes livros, mas acredito que o que ela disse sobre Catherine Middleton é completamente inoportuno e errôneo", declarou Cameron sobre a crítica de Mantel, que disse, entre outras coisas, que Middleton tem um "sorriso de plástico".

Cameron saiu em defesa de Middleton e afirmou à rede BBC que, a julgar por sua participação em vários eventos públicos como a Olimpíada de Londres, ela "é alguém inteligente, cativante e uma fantástica embaixadora para o Reino Unido".

"Deveríamos nos sentir orgulhosos disso, em vez de faze esses comentários desafortunados", acrescentou.

A escritora britânica Hilary Mantel, duas vezes ganhadora do prêmio Man Booker, fez um ataque contra Kate Middleton, mulher do príncipe William, que chamou de "marionete sem personalidade", cuja "única razão de ser é ter um filho".

"Kate foi obviamente escolhida para este papel de princesa porque ela é impecável em todos os aspectos: ela tem o corpo dos sonhos, não é excêntrica e não há nada nela que incomode", declarou a romancista em coletiva de imprensa realizada ontem no British Museum, em Londres.

Ela "parece fabricada", acrescentou, comparando "a falta de jeito humana" e a "incontinência emocional" de Diana, mãe de William "que deixava transparecer suas fraquezas em cada um de seus gestos".

A autora, famosa por seus livros históricos, disse ter visto Middleton se transformar em "uma marionete sobre a qual ficam suspensas as roupas", "um manequim de desventuras, sem personalidadem definida inteiramente pelo que ela veste".

Middleton está grávida do futuro herdeiro do trono. Segundo a escritora, ela é "uma mãe poderosa, investida de outras atribuições ultrapassadas", cuja "única razão de existir e único objetivo é ter um filho".
 

continua após publicidade