Geral

Gil Rugai volta a se dizer inocente

Da Redação ·





Por Felipe Souza

SÃO PAULO, SP, 19 de fevereiro (Folhapress) - O ex-seminarista Gil Rugai, acusado de matar seu pai, o empresário Luis Carlos Rugai, e a madrasta, Alessandra Troitino, 33, chegou ao fórum da Barra Funda por volta das 10h de hoje para o segundo dia de seu julgamento. O crime aconteceu em 2004, em Perdizes (zona oeste de SP).

Na chegada, Rugai afirmou inocência. "Não matei. Sou inocente", disse ao entrar no fórum acompanhado de seus advogados.

A audiência estava marcada para começar às 9h30, mas só começou às 10h30, com o depoimento da testemunha de acusação Alberto Bazaia Neto, instrutor de voo.

Em seguida, deverá ser interrogado também o delegado Rodolfo Chiarelli, que presidiu o inquérito que investigou o caso.

Hoje também devem começar a ser ouvidas ainda as testemunhas de defesa. Ao todo, são nove pessoas escolhidas pelos advogados do ex-seminarista.

O jovem chegou a ficar dois anos presos e atualmente recebe ao processo em liberdade.
 

continua após publicidade