Geral

Estudante que criou "Diário de Classe" diz ter sido ameaça de morte

Da Redação ·

Por Jeferson Bertolini FLORIANÓPOLIS, SC, 18 de fevereiro (Folhapress) - A estudante Isadora Faber, 13, que se tornou conhecida no ano passado ao criar uma página no Facebook para mostrar os problemas da escola em que estuda, em Florianópolis, informou que foi ameaçada de morte. No comentário postado ontem no Facebook, Isadora demonstra estar assustada, especialmente por causa dos ataques em Santa Catarina e porque, no ano passado, sua casa foi apedrejada -a avó dela ficou ferida. "O que estou fazendo para ser ameaçada de morte? Se isso é brincadeira, é de muito mau gosto. Quem faz ameaças assim só pode ser um covarde que se contenta com as migalhas que são dadas", escreveu. O caso foi registrado na 8ª Delegacia de Polícia Civil pelo pai da estudante, Chistian Faber, ontem. No relato, ele disse que "não tem suspeitas de quem fez as ameaças" e que "não sabe dizer por qual motivo elas foram feitas". Chistian detalhou a mensagem deixada no "Diário de Classe", citando principalmente a parte do texto que estende as ameaças aos pais da menina e ao garoto que criou a página do fã-clube da estudante. Ameaça No Facebook, Isadora anexou uma mensagem com o texto da ameaça que, carregado de palavrões, pede que seja retirada do ar a página de um fã clube. As aulas na Escola Maria Tomázia Coelho, em Florianópolis, onde Isadora estuda, começaram hoje. Desde que a iniciativa da estudante ganhou projeção em jornais do Brasil e do exterior, o "Diário de Classe" foi "curtido" por mais de 550 mil pessoas. O número, associado à iniciativa da garota de denunciar portas quebradas e ao que considera comportamento inadequado de professores, rendeu popularidade e inimizades à estudante. No ano passado, ele foi ouvida pela polícia catarinense depois que sua casa foi apedrejada. Ela também já foi chamada para fazer palestras em eventos sobre educação e redes sociais.  

continua após publicidade