Geral

Delegado que chefiou a PF de Ribeirão Preto morre após 20 dias internado

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 14 de fevereiro (Folhapress) - Foi enterrado ontem em Santa Rita do Passa Quatro (248 km de São Paulo) o corpo do delegado da Polícia Federal José Bocamino, que foi chefe da corporação em Ribeirão Preto. Bocamino foi preso em 2004 em uma operação da própria PF por suspeita de ter participado de uma organização criminosa para o comércio de porte de armas e contrabando. Ele estava internado havia 20 dias no hospital Ribeirânia, em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo) para tratamento contra um câncer, e morreu anteontem. Ele foi acusado de ter participado, juntamente com outros colegas de corporação, de uma organização criminosa. Ele foi preso em 2004 durante a Operação Lince, que apurou a existência de um grupo criminoso composto de policiais federais em Ribeirão. Entre os crimes atribuídos à suposta organização estavam roubo de cargas, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e extração ilegal de minérios. Um ano antes da operação, Bocamino foi flagrado em gravações de investigação sobre contrabando de diamantes. De acordo com o Ministério Público Federal, Bocamino foi condenado por corrupção com trânsito em julgado, o que não cabe mais recurso. A pena, de dois anos e seis meses, era cumprida em regime aberto. Ele também respondia por formação de quadrilha, mas segundo o procurador André Menezes, havia um recurso da defesa aguardando julgamento no STJ (Superior Tribunal de Justiça). A reportagem tentou, mas não conseguiu falar com o advogado de Bocamino.  

continua após publicidade