Geral

Advogado de "agente duplo" diz que falou com cliente na véspera de sua morte

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 14 de fevereiro (Folhapress) - O advogado do suposto agente duplo do serviço secreto de Israel, Ben Zygier, disse que seu cliente estava cogitando buscar um acordo judicial pouco antes de sua morte, ocorrida em 2010.

Segundo uma ordem judicial, uma investigação concluiu que Zygier cometeu suicídio.

Feldman disse ao canal israelense Channel 10, hoje, que se encontrou com Zygier na véspera de sua morte e que ele se comportava de maneira racional.

"Eu me encontrei com uma pessoa equilibrada e que estava considerando racionalmente suas opções legais", disse Avigdor Feldman.

Segundo uma reportagem divulgada pela Australian Broadcasting Corporation (ABC) no início desta semana, Zygier, australiano que se mudou para Israel em 2000, foi preso enquanto atuava para o serviço secreto israelense, o Mossad.

Uma ordem judicial vinha sendo imposta à imprensa israelense, proibida de divulgar o caso.

Israel não confirmou se Zygier, conhecido como Prisioneiro X, trabalhava para o serviço secreto mas reconheceu que prendeu uma pessoa com dupla nacionalidade israelense e com nome falso por razões de segurança, e que o prisioneiro teria morrido no cárcere, em 2010.

Feldman disse que seu cliente havia sido exposto a intensa pressão emocional pelos seus interrogadores, o que o advogado acredita que pode ter contribuído para seu suposto suicídio.

Segundo Feldman, os oficiais disseram que Zygier poderia esperar uma longa pena e que seria banido de sua família e da comunidade judaica.

Zygier foi acusado de "crimes graves", segundo Feldman, e havia negociações em curso para um acordo. O advogado não entrou em detalhes sobre as acusações, mas disse que elas eram negadas por Zygier.

Suspeitas

Segundo os meios de comunicação australianos, Zygier seria uma de pelo menos três cidadanias que são investigadas pela Organização de Segurança e Inteligência da Austrália por suspeitas de espionagem para Israel.

Zygier, que veio de uma conhecida família judaica na Austrália também era conhecido como Ben Alon e Ben Allen.

O chanceler australiano, Bob Carr, disse hoje que o Ministério das Relações Exteriores soube da prisão de Zygier em fevereiro de 2010. Na última quarta-feira, ele fez declarações de que diplomatas australianos em Israel foram informados sobre a prisão meses depois, ainda em 2010.

O Ministério de Justiça de Israel disse que ordenou uma investigação para saber se houve ou não negligência na morte de Zygier. Seus parentes se negaram a comentar o caso.
 

continua após publicidade