Geral

Parlamento aprova casamento homossexual; projeto irá ao Senado

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 12 de fevereiro (Folhapress) - Os deputados franceses aprovaram hoje a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. O texto recebeu o apoio majoritário dos grupos de esquerda, com 329 votos a favor, 229, essencialmente da direita, contra, e dez abstenções. O projeto de lei, a primeira grande reforma social do presidente socialista François Hollande, ainda precisa ser analisado a partir de 2 de abril pelo Senado - também de maioria de esquerda, inclinada à aprovação da lei - para, só então, entrar em vigor. Durante as rodadas de discussão, a direita francesa tentou alongar o processo o máximo possível. Mais de 5.300 emendas foram apresentadas pela oposição, algumas das quais eram absurdas, como a demanda de que casamentos polígamos e incestuosos sejam legalizados, em nome da igualdade de direitos. O projeto tem seu ponto mais polêmico no artigo 1º: "O matrimônio é contraído entre duas pessoas de sexos diferentes ou do mesmo sexo". Vários detratores do projeto de lei fizeram comparações semelhantes, relacionando o casamento homossexual a poligamia, zoofilia ou incesto. A maior parte dos anticasamento gay tem um discurso mais ponderado. Em uma grande manifestação em Paris, no último dia 13 de janeiro, que reuniu ao menos 100 mil pessoas, diversos cartazes exibiam o slogan: "Todos nascemos de um pai e uma mãe". "Os manifestantes anticasamento gay não são a França de hoje. O país não é mais exclusivamente branco, loiro, com um pai e uma mãe e católico. Claro, isso também é a França, mas há outros modelos de família", afirmou Stéphane Corbin, da Federação Francesa LGBT.  

continua após publicidade