Geral

Irã, Rússia e China condenam novo teste nuclear da Coreia do Norte

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 12 de fevereiro (Folhapress) - Os governos da China, Rússia e Irã também reagiram ao teste nuclear realizado hoje pela Coreia do Norte. A exemplo de países como EUA, França, Reino Unido e Brasil, que se manifestaram em forma de protestos e preocupação, os países seguiram uma linha semelhante. O governo chinês convocou o embaixador norte-coreano para prestar esclarecimentos a respeito do teste de hoje. O ministro de Relações Exteriores chinês, Yang Jiechi, disse que seu país estava muito insatisfeito e em total desacordo com o teste. Yang pediu que o vizinho comunista "pare com os atos e as retóricas que possam agravar as crises e dificultar o caminho do diálogo e da paz". Na África do Sul, durante uma reunião com as autoridades locais, o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, condenou o teste e pediu à Coreia do Norte que abandone seu programa de armas nucleares. Segundo Lavrov, o pais não deveria desafiar as resoluções da ONU e entrar no processo de diálogo pela paz. Irã Em meio a um controverso programa nuclear, o governo iraniano comentou o teste norte coreano, pedindo que todas as armas nucleares do mundo sejam destruídas. O Irã está sob sanções da ONU por causa de seu programa nuclear, que o Ocidente suspeita servir para o desenvolvimento de armas atômicas. O governo islâmico nega a acusação e diz que seu programa é pacífico. "Nós achamos que precisamos chegar a um ponto em que nenhum país do mundo tenha armas nucleares", afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano Ramin Mehmanparast, em entrevista coletiva, quando perguntado sobre o teste. "Todas as armas de destruição em massa e armas nucleares precisam ser destruídos", afirmou. Mehmanparast, porém, acrescentou que todos os países deveriam ser capazes de usar a tecnologia nuclear para fins pacíficos.  

continua após publicidade