Geral

Haddad vai à Câmara pedir o fim da taxa de inspeção veicular

Da Redação ·





Por Giba Bergamim Jr.

SÃO PAULO, SP, 5 de fevereiro (Folhapress) - O prefeito Fernando Haddad (PT) enviará na semana que vem à Câmara Municipal de São Paulo o projeto que acaba com a taxa de inspeção veicular. Atualmente, o motorista precisa pagar R$ 47,44 pela vistoria.

O tema fará parte do discurso do petista no Legislativo durante o retorno dos vereadores do recesso parlamentar, na tarde de hoje.

Segundo o secretário de Relações Governamentais, João Antonio, o projeto apresentado tratará somente do fim da cobrança.

Haddad quer tornar a vistoria obrigatória só a cada dois anos para carros com cinco anos de fabricação. Essas mudanças, porém, estão sendo estudadas, segundo o secretário.

No início do ano, a Folha de S.Paulo mostrou que vereadores da oposição ameaçam barrar as mudanças na vistoria de veículos. Os partidos PSDB, PPS e PSD concordam com o fim da taxa, mas discordam de mudanças na periodicidade da inspeção.

Haddad também pedirá urgência para a votação do projeto para as obras viárias na zona leste no entorno do estádio do Corinthians, sede da abertura da Copa Mundo.

O plano de reestruturação das vias do entorno do estádio já foi enviado no ano passado pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Com o pedido de urgência, o projeto deve ser votado com prioridade em relação a demais projetos.

Também será enviado aos vereadores na semana que vem o projeto que cria duas novas secretarias: de Política para Mulheres (Denise Mota Dau) e Igualdade Racial (Netinho de Paula).

Universidade

Ontem, Haddad enviou os dois primeiros projetos de sua gestão, ambos para a criação de centros educacionais de ensino superior.

O primeiro é referente à cessão do terreno para a construção da Universidade Federal de São Paulo na zona leste. O imóvel foi desapropriado ao custo de R$ 68 milhões.

No ano passado, quando a gestão Kassab avaliou a área em R$ 60 milhões, o Ministério Público Estadual abriu uma investigação, já que uma empresa havia arrematado o mesmo imóvel num leilão, por R$ 15 milhões.

O segundo projeto cede área em Pirituba (zona norte de SP) para a construção do Instituto Tecnológico.
 

continua após publicidade