Geral

Nenê de Vila Matilde luta para ficar na elite ao falar da igualdade

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 4 de fevereiro (Folhapress) - A tradicional Nenê de Vila Matilde abre o segundo dia de desfiles, no sábado, mostrando as histórias de lutas do povo brasileiro por igualdade. Com o enredo "Da revolta dos búzios a atualidade, Nenê canta a igualdade", a escola da zona leste de São Paulo vai lutar para se manter no Grupo Especial. No ano passado, a escola foi a campeã do Grupo de Acesso e voltou neste ano a desfilar com a elite do Carnaval paulistano. O carnavalesco Eduardo Caetano, 42, diz que a agremiação começa o desfile contando a Revolta dos Búzios, luta para conquistar a libertação dos escravos. As brigas e conquistas do povo brasileiro não vão ficar só no passado. Caetano conta que será mostrada na avenida lutas atuais para a conquista da igualdade. "Vamos mostrar a reforma agrária, a luta sindical, a briga para a mulher e os homossexuais conseguiram direitos. Os idosos e os portadores de deficiências também serão lembrados no nosso desfile", revela. Com cinco carros alegóricos e 4 mil integrantes divididos em 22 alas, a agremiação pretende emocionar o público. "Vamos fazer um desfile mais técnico que cai tocar pela emoção pois todo mundo vai se identificar com algumas das lutas que estarão na avenida." Um dos atrativos da escola será a presença de integrantes do grupo Olodum que estarão no meio da bateria da agremiação. O carnavalesco conta que o desfile será encerrado com um carro alegórico que representa o Carnaval. "Esse é o templo da igualdade pois em uma escola de samba não importa a cor, a classe social ou a raça da pessoa. Todos são iguais."  

continua após publicidade