Geral

Governo espera aumentar multas e prisões por lei seca

Da Redação ·

BRASÍLIA, DF, 4 de fevereiro (Folhapress) - Pouco mais de uma semana depois de entrar em vigor a nova lei seca, que endureceu a fiscalização da embriaguez ao volante, o governo espera aumento dos números de autuações e prisões durante o feriado de Carnaval em relação aos anos anteriores. "Nós tivemos esse exemplo neste fim de semana, quando tivemos um aumento inclusive de prisões e de autuações durante o sábado e o domingo em razão da nova lei seca e do aumento da fiscalização. Eu acho que a expectativa é que aumente [no feriado], embora nós queiramos na verdade é que haja a conscientização dos brasileiros. A lei serve como parâmetro para normatizar posturas", disse hoje o ministro. O Ministério das Cidades, em parceria com os ministérios da Justiça, da Saúde e dos Transportes, lança também hoje campanha publicitária para redução de acidentes de trânsito durante o feriado. Folhetos serão distribuídos com o objetivo esclarecer pontos polêmicos da nova lei, como, por exemplo, a quantidade-limite de álcool que pode ser ingerido para não ser multado ou mesmo preso. Antes da nova lei, o limite do bafômetro era de 0,1 mg/l (miligrama de álcool por litro de ar). A partir disso, o motorista era multado. Agora o limite caiu para 0,05 mg/l, com margem de erro de 0,04 mg/l. O valor da multa é de R$ 1.915,40. Hoje, o governo fez uma demonstração com voluntários, que ingeriram bombons de licor, cerveja, vinho e vodca. Outro voluntário também usou enxaguante bucal. Num período de 25 minutos desde a ingestão, passaram no teste do bafômetro apenas aquele que comeu quatro bombons e quem usou o enxaguante bucal. O bafômetro acusou álcool no sangue dos voluntários que beberam uma long neck de cerveja (0,11 mg/l), uma taça de vinho (0,5 mg/l) e uma dose de vodca (0,1 mg/l). Com esses resultados, eles responderiam por infração gravíssima, multa, além da retenção do veículo e do recolhimento da carteira de habilitação.  

continua após publicidade