Geral

Capitão de barco pesqueiro chinês é detido em águas territoriais

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 2 de fevereiro (Folhapress) - A guarda costeira do Japão anunciou hoje a detenção do capitão de um barco pesqueiro chinês que estava em águas japonesas, em meio a tensão entre os dois países por uma disputa territorial. A patrulha prendeu o capitão do barco ao suspeitar que pescava corais em águas territoriais japonesas, perto da ilha de Miyako, no território de Okinawa, no extremo sul do Japão. O barco, com 13 pessoas a bordo, foi interceptado 46 km ao nordeste da ilha. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, visitou hoje a ilha de Okinawa, onde prometeu defender o Japão das "provocações" de seus vizinhos. Disputa O incidente acontece em meio à disputa entre China e Japão por um grupo de ilhas no mar do Leste da China, chamada de Diaoyu por Pequim e Senkaku por Tóquio O conflito entre os dois países se intensificou em setembro, quando o Japão anunciou ter comprado as ilhas, que pertenciam a um dono particular japonês e eram patrulhadas pela Guarda Costeira do país. Na época, o então vice-presidente chinês e futuro mandatário do país, Xi Jinping, chamou a transação de "farsa". "O Japão deveria moderar seu comportamento e interromper quaisquer palavras e atos que abalem a soberania e a integridade territorial da China." A disputa com o Japão provocou uma série de manifestações em cidades chinesas, algumas violentas. Milhares de pessoas protestaram em frente a representações diplomáticas de Tóquio e depredaram carros e empresas de origem japonesa. Temendo retaliação, as multinacionais nipônicas suspenderam suas atividades, entre elas Panasonic, Toyota, Nissan e Honda. As vendas locais também foram prejudicadas por um boicote. Desde então, os dois países continuaram as disputas, mas com manifestações menos intensas. Na maioria dos casos, barcos e aviões chineses estiveram no território das ilhas, o que provocou protestos formais de Tóquio.  

continua após publicidade