Geral

Incêndio-Investigação - (Atualizada)

Da Redação ·

Justiça prorroga prisão de envolvidos no incêndio da boate Kiss




Por Carolina de Andrade

SÃO PAULO, SP, 1 de fevereiro (Folhapress) - A Justiça do Rio Grande do Sul concedeu a prorrogação por 30 dias da prisão temporária de quatro envolvidos no caso do incêndio da boate Kiss.

A medida estende a prisão de Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann, sócios da boate, de Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da banda Gurizada Fandangueira, e de Luciano Augusto Bonilha Leão, assistente de palco do grupo que se apresentava na casa na noite do incêndio.

A decisão, tomada pelo juiz Régis Adil Bertolini, atendeu ao pedido encaminhado pela Polícia Civil hoje com o aval do Ministério Público.

Segundo os promotores de Justiça Joel Oliveira Dutra e Waleska Flores Agostini, ainda há testemunhas que não foram ouvidas e documentos que não foram encontrados. Eles argumentaram também que há risco de fuga dos envolvidos, já que três deles foram presos fora de Santa Maria.

Segundo a Promotoria, as informações colhidas até o momento indicam que os envolvidos assumiram o risco de causar a morte das pessoas presentes na boate Kiss.

A superlotação da casa, o uso de sinalizadores inadequados para ambientes internos e o mau funcionamento dos extintores de incêndio são alguns dos problemas apontados.

Para os promotores, o fato de as mortes terem sido causadas por asfixia e pelo fogo indicam que se trata de homicídio qualificado, considerado hediondo.

O advogado de Elissandro Spohr, conhecido como Kiko, apresentou na última quarta-feira à Justiça pedido de liberdade de seu cliente. O pedido foi negado.

Spohr segue internado em um hospital de Cruz Alta, a 130 km de Santa Maria, sob vigilância de policiais.

O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, ocorrido na madrugada do último domingo, causou a morte de 236 pessoas.

O fogo começou na espuma de isolamento acústico da boate, após o vocalista da banda Gurizada Fandangueira manipular um sinalizador acendido pelo assistente de palco. Faíscas teriam atingido o teto e iniciado o incêndio.
 

continua após publicidade