Geral

Motoboys bloqueiam a avenida Paulista em manifestação contra fiscalização

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 1 de fevereiro (Folhapress) - Um grupo de cerca de 350 motoboys fechava totalmente a avenida Paulista, na região central de São Paulo, por volta das 12h de hoje, em protesto contra o início da fiscalização das novas regras para o exercício da profissão. O grupo estava na altura da praça Osvaldo Cruz, no sentido Consolação. Os manifestantes começaram o protesto por volta das 10h, na rua Doutor Eurico Rangel e passaram pela avenida dos Bandeirantes e pela 23 de Maio. Por volta das 12h, as vias vias ainda tinham longos trechos de congestionamento em decorrência da passagem dos motoboys. No corredor norte-sul, eram 5,7 km de filas no sentido Santana, entre o viaduto João Julião da Costa Aguiar e o viaduto Santa Generosa. Já na avenida dos Bandeirantes, havia 4 km de retenção no sentido marginal, entre os viadutos Jabaquara e Santo Amaro. Em toda a cidade de São Paulo, havia 70 km de lentidão por volta das 12h, o que representa 8% dos 868 km de vias monitoradas. O índice estava próximo da média do horário, que é de 8,1%. A pior região era a zona sul, com 27 km de lentidão. Entre as novas regras, o motociclista deverá ter realizado o curso de capacitação de 30 horas, usar colete com faixas reflexivas e trafegar com a motocicleta com os equipamentos de segurança como antena corta-pipa e protetor de pernas, sob o risco de ser multado a partir de amanhã. A multa para quem estiver irregular é de R$ 191,54, além da apreensão da moto. Apesar disso, apenas 21 mil dos 500 mil profissionais do Estado de São Paulo já fizeram o curso, segundo o Detran. De acordo com o o presidente do Sindimoto, Gilberto dos Santos, a oferta de vagas dos cursos é baixa.  

continua após publicidade