Geral

Segurança-SC - (Atualizada)

Da Redação ·

Nova onda de violência urbana atinge seis cidades




Por Jeferson Bertolini

FLORIANÓPOLIS, SC, 1 de fevereiro (Folhapress) - Em nova onda de ataques a prédios da segurança pública e ao transporte coletivo, a Polícia Militar registrou 11 atentados em seis cidades de Santa Catarina entre as 22h de ontem e as 10h30 de hoje.

Segundo a PM, dois prédios da segurança pública -uma delegacia de Camboriú (79 km de Florianópolis) e uma base da PM na capital- foram atingidos por bombas caseiras, e dois carros e sete ônibus foram queimados. Um passageiro ficou ferido.

O secretário de Estado da Segurança Pública, Cesar Grubba, disse que uma das hipóteses é que o motivo da violência seja a transferência de Rodrigo de Oliveira, preso por tráfico de drogas na penitenciária de São Pedro de Alcântara (30 km de Florianópolis), a uma unidade do sul do Estado.

Foi da penitenciária de São Pedro que, em novembro de 2012, presos organizaram três dias de ataques. Foram 67 registros, a maior parte contra ônibus e prédios da segurança pública, em 17 cidades. Na época, 70 pessoas foram presas por suspeita de participação nos episódios.

A Secretaria de Segurança relacionou os ataque de 2012 a mudanças nas regras de segurança na penitenciária de São Pedro de Alcântara.

Ferido

Até as 10h30 de hoje, o passageiro ferido na noite de ataques, Eron de Melo, 19 anos, permanecia internado no Hospital Celso Ramos, no centro de Florianópolis.

Ele sofreu queimaduras no peito e pescoço, por volta das 23h40 de ontem, quando dois homens interceptaram o ônibus em que estava, no bairro Ingleses, para queimar o veículo.

Eron foi atendido em um posto de saúde da região, mas precisou ser transferido ao hospital. Enfermeiros da unidade disseram nesta manhã que ele está internado e deve ser transferido a um posto especializado em queimados, mas não falaram sobre a gravidade dos ferimentos.

Hoje, o transporte coletivo operou com restrições durante a madrugada no Norte da Ilha, em Florianópolis, onde quatro ônibus foram queimados. Mas outras linhas da cidade operam normalmente, algumas com escolta policial.

O comando da Polícia Militar no Estado informou, por meio da assessoria de imprensa, que manterá todas as equipes em alerta para conter a violência.

Durante a noite, as equipes trabalharam em quatro barreiras fixas em Florianópolis e em oito pontos de observação considerados estratégicos. Em outras cidades do Estado houve rondas intensivas, segundo a corporação.


 

continua após publicidade