Geral

Policial é internado após receber contraste para ressonância magnética

Da Redação ·

GUARATINGUETÁ, SP, 31 de janeiro (Folhapress) - Um policial militar de 52 anos foi internado em estado grave hoje em Guaratinguetá (SP) após ter recebido dose de contraste para fazer um exame de ressonância magnética. O caso ocorre na mesma semana em que três pacientes morreram em Campinas (SP) após usarem contraste e fazerem ressonância do crânio. As causas estão sob investigação. O PM teve reação durante ressonância do abdome no Hospital Frei Galvão. Respirava com a ajuda de aparelhos. As causas serão apuradas. Substância usada para facilitar a visualização dos exames, o contraste usado em Guaratinguetá foi o Dotarem, da Guerbet, cujo lote foi interditado pela Vigilância local. Nos casos do Hospital Vera Cruz, em Campinas, os pacientes receberam Dotarem e Magnevistan, da Bayer, além de três tipos de soro --todos os lotes foram interditados. O lote de Dotarem usado em Campinas, contudo, é diferente do de Guaratinguetá. Após os casos em Campinas, o Estado interditou lotes de três tipos de soro (Eurofarma, Samtec e Equipex) e dois contrastes (Magnevistan e Dotarem). A reportagem não conseguiu contato hoje com a Guerbet. Anteontem, informou que não irá vender remanescentes do lote. A Bayer iniciou apuração interna. A Eurofarma disse que o lote havia sido liberado após resultados normais. A Samtec se disse "pronta a colaborar", e a Equipex citou a "qualidade" do produto.  

continua após publicidade