Geral

Conseguimos mais justiça para o país, diz Gloria Perez sobre morte da filha

Da Redação ·

RIO DE JANEIRO, RJ, 28 de dezembro (Folhapress) - A autora de novelas Gloria Perez compareceu na noite de hoje a uma missa em homenagem a sua filha Daniela Perez, assassinada em 28 de dezembro de 1992, há exatos vinte anos. O intrincado processo pela condenação dos autores do crime, o casal Guilherme de Pádua e Paula Thomaz, resultou em mudanças na própria legislação penal. A partir de um abaixo-assinado organizado por Gloria Perez, uma emenda constitucional foi aprovada tornando homicídio qualificado um crime hediondo. "Em apenas três meses, conseguimos 1,3 milhão de assinaturas, ninguém acreditava que isso fosse possível, conseguimos um pouco mais de justiça para esse país", disse a autora, após o encerramento da cerimônia. "Significou o momento em que a sociedade brasileira percebeu que podia dizer o que ela queria." Presente na cerimônia em homenagem à Daniela Perez, José Muñoz Pinheiro Filho, promotor do caso e atual procurador-geral, lembrou a importância do caso. "A Gloria usou seu inconformismo para mobilizar a sociedade, para ajudar a sociedade a questionar. A iniciativa dela (Gloria Perez), que ajudou a alterar a lei, abriu caminho para outros movimentos sociais, como a que resultou na lei da Ficha Limpa", lembra Pinheiro, que estava ao lado de Arthur Lavigne, advogado criminalista que também fez parte da equipe de acusação do processo. Além de fãs, vestidos com camisetas com a imagem de Daniela, esteve presente na missa o ator Raul Gazzola, ex-marido da filha de Gloria Perez.  

continua após publicidade