Geral

Filhos que abandonarem pais idosos podem ser processados

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 28 de dezembro (Folhapress) - Visite seus pais -ou seja levado à Justiça por eles. O governo chinês, emendando as leis que regulamentam os direitos dos idosos no país, tornou obrigatório hoje que os adultos visitem "regularmente" seus pais. A emenda não especifica o que é uma visita "regular", em termos de frequência. Mas, segundo a mídia estatal chinesa, a medida possibilitará que pais sentindo-se negligenciados pelos filhos levem o caso a um tribunal. O país tem discutido a questão, conforme surgem relatos de idosos abandonados ou ignorados pelos filhos. A mídia local está repleta de histórias de abusos -entre elas, o caso de uma senhora de 90 anos na província próspera de Jiangsu (localizada no leste da China) que foi forçada pelo filho a viver em um chiqueiro durante dois anos. Há também frequentes relatos de filhos tomando posse dos ativos dos pais sem que haja o consentimento deles. Durante os dois últimos anos, os casos de abuso de idosos em Hong Kong subiram 15%, de acordo com o "South China Morning Post". "Devido à cultura chinesa, pessoas mais velhas estão relutantes em revelar o estado de desgraça de suas famílias", afirmou o diretor de um grupo contra o abuso de idosos em entrevista ao jornal. Fermento Em meio ao rápido desenvolvimento da China, após três décadas de reformas de mercado, a tradicional família estendida chinesa sofreu rupturas, aproximando-se do modelo ocidental. Assim, idosos foram excluídos do convívio familiar, obrigados a viver isolados, por conta própria. A ruptura ocorre, por exemplo, quando a busca por emprego leva filhos a se mudarem para áreas industriais distantes de suas casas, deixando seus pais para trás. Como agravante, há poucas opções para idosos impossibilitados de viver por si, como asilos ou casas de repouso. O problema é acentuado pela expansão da população idosa na China, após o aumento da expectativa de vida --que saltou de 41 anos para 73 anos durante as últimas cinco décadas-- e depois também das políticas de planejamento familiar que limitam o número de filhos por família. A maior parte dos núcleos familiares têm apenas um filho, devido a essas restrições. O envelhecimento da população é visto como um risco à estabilidade econômica e social do país, cuja rede de proteção social ainda é fraca. Há hoje, na China, aproximadamente 167 milhões de pessoas com idade acima de 60 anos. Aqueles acima de 80 anos somam 1 milhão.  

continua após publicidade