Geral

Muro desaba e deixa 7 mortos e 2 feridos em Sorocaba

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 21 de dezembro (Folhapress) - A queda de um muro de uma antiga fábrica de tecidos deixou sete mortos e dois feridos na noite de ontem em Sorocaba (99 km de São Paulo). O local está em construção para dar lugar a um novo shopping e fica na região central da cidade. O muro caiu em cima de veículos que aguardavam o semáforo abrir, por volta das 19h20. Chovia no momento do acidente e nenhum pedestre passava próximo do muro, segundo o Corpo de Bombeiros. As duas pessoas feridas não correm risco de morrer. Um jovem de 24 anos teve um corte no pé e já foi liberado. No final da noite, equipes do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e da prefeitura ainda removiam os escombros. As causas do desabamento ainda serão investigadas. A Polícia Militar diz que não houve nenhum acidente no local que pudesse motivar a queda. Segundo a prefeitura, houve uma rajada de vento muito forte no momento do acidente. Interdição A construção do shopping foi interditada até que análises sejam concluídas. Segundo o secretário municipal de Habitação e Urbanismo, José Carlos Comitre, a principal suspeita é que o muro tenha caído por efeito da chuva e de ventos fortes. "A fundação do muro está intacta e não houve perda de sustentação por qualquer efeito da obra", disse. De acordo com ele, o subsolo do futuro shopping estava sendo trabalhado, mas em princípio não interferiu no acidente. Comitre afirmou que a obra não era fiscalizada pela prefeitura, pois não houve nenhum indício de problema no local. "A prefeitura aprovou a obra por cumprir tudo o que exige a legislação, mas não há obrigação de acompanhar a execução." Como a antiga fábrica de tecidos era tombada, o projeto tinha que manter as paredes externas do imóvel. Um telhado que poderia ajudar na sustentação da parede, segundo o secretário, foi retirado, mas não é possível dizer se isso influenciou na queda do muro. "Só podemos lamentar, é uma tragédia das mais dramáticas que Sorocaba já viu", disse o secretário.  

continua após publicidade