Geral

Presidente chega à Alemanha para retirar coágulo cerebral

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 20 de dezembro (Folhapress) - O presidente do Iraque, Jalal Talabani, 79, chegou hoje à Alemanha para retirada de um coágulo cerebral ocasionado por um derrame. O desembarque do mandatário foi confirmado pelo ministro de Relações Exteriores do país europeu, Guido Westerwelle. Ele saiu de Bagdá na manhã local (madrugada em Brasília), sob a supervisão de uma equipe médica especializada. O texto acrescenta que a saúde do presidente melhorou após ser tratado por uma equipe de médicos iraquianos e alemães, que decidiram depois por sua transferência. Na quarta, o chefe do escritório de imprensa do líder, Barazan Sheikh Ozman, explicou que os médicos tomaram a decisão de transferi-lo após comprovar que seu estado de saúde era estável e que melhorava de forma contínua. Talabani foi internado na segunda em Bagdá. Na ocasião, a Presidência havia afirmado que "recentemente fez muitos esforços para obter a estabilidade do país e, como consequência do cansaço, teve um emergência de saúde e foi transferido a um hospital". O presidente sofreu vários problemas de saúde nos últimos anos. Em fevereiro de 2007, permaneceu hospitalizado em Amã por 18 dias em decorrência de uma indisposição atribuída também a estresse. Em agosto de 2008, ele passou por uma cirurgia cardíaca nos EUA. Moderado Um moderado que lidera a União Patriótica do Curdistão (UPK), Talabani assumiu a Presidência do Iraque em 2005 e se tornou o primeiro presidente curdo na história do país, composto por diferentes etnias e crenças. De acordo com a Constituição iraquiana, se Talabani morrer, um dos vices assume suas funções até que o Parlamento eleja um novo presidente. Os acordos de divisão de poder determinam que a Presidência fique com um curdo, enquanto os dois vices são muçulmanos xiita e sunita. A transferência acontece dois dias após o primeiro aniversário da retirada das tropas americanas desde a invasão de 2003. Nos últimos dias, o Iraque foi palco de uma série de atentados que deixaram dezenas de mortos.  

continua após publicidade