Geral

MPF quer prisão de médicos que cobravam por cirurgias no SUS em Jales

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 18 de dezembro (Folhapress) - O Ministério Público Federal pediu hoje a prisão preventiva de oito médicos sob suspeita de cobrar por cirurgias, principalmente cesarianas, que seriam feitas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em Jales (a 580 km de São Paulo). O grupo também teria realizado cirurgias de laqueadura de trompas sem respeitar parâmetros legais.

De acordo com a Procuradoria, o pedido de prisão tem o objetivo de impedir que os médicos pratiquem novos crimes.

"Se a Justiça Federal entender que não é o caso de prisão preventiva, outras medidas devem ser tomadas diante da gravidade dos fatos. Mantê-los trabalhando poderá ensejar a prática de novos delitos similares", diz o procurador da República Thiago Lacerda Nobre, autor da denúncia.

Segundo a denúncia, os oito médicos denunciados pressionavam os pacientes a pagar por procedimentos cobertos pelo sistema, inclusive cesarianas. Além de exigir o pagamento, o que configura crime de concussão (extorsão praticada por funcionário público), alguns médicos cobravam do SUS pelo mesmo procedimento, o que é ilegal.

Eles cobravam entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil por cada cirurgia.

Todos os médicos foram denunciados por concussão. Alguns também foram denunciados por estelionato qualificado e falsidade ideológica, por terem feito laqueadura de trompas sem respeitar as prescrições legais e aborto sem autorização da gestante.

 

continua após publicidade