Geral

"Nossos corações estão partidos", diz Obama

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 14 de dezembro (Folhapress) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um pronunciamento hoje feira sobre o tiroteio na cidade de Newtown, no Estado americano de Connecticut.

Visivelmente emocionado, o presidente disse que falava a nação como pai que manda suas crianças todos os dias para a escola e disse que oferece todos os recursos do governo para ajudar, inclusive, a confortar as famílias.

Lembrando acontecimentos semelhantes no país, disse que estas tragédias têm acontecido com uma frequência muito grande, e algo tem que ser feito a respeito. "Precisamos tomar ações significativas para evitar que isso volte a acontecer, sem nos importar com as questões políticas", disse Obama.

"Nossos corações estão partidos hoje", afirmou o presidente, limpando algumas lágrimas de seu rosto.

Obama disse que ele e sua esposa Michelle vão abraçar seus filhos esta noite, e que sente por aqueles que não poderão fazer o mesmo com seus familiares em decorrência desse terrível acontecimento.

Pouco antes do pronunciamento, Obama decretou luto e ordenou que bandeiras fossem colocadas a meio mastro em locais públicos em todo o país.

Tragédia

Um atirador abriu fogo na manhã desta sexta-feira em uma escola da cidade de Newtown, no Estado de Connecticut, nos Estados Unidos. A polícia diz que funcionários e crianças estão entre os mortos e feridos no incidente.

A estimativa de mortos ainda não foi confirmada pela polícia, mas a imprensa americana informa a morte de 27 pessoas. Dentre elas, o número de crianças mortas varia entre 14 e 18.

O ataque aconteceu por volta das 10h locais (13h em Brasília) na escola Sandy Hook, em uma área próxima a Newtown, quando um atirador entrou na escola e começou a efetuar disparos. Um pai de aluno ouvido pela emissora NBC diz que o atirador disparou durante uma reunião administrativa no prédio.

O chefe de polícia do condado de Danbury, Al Baker, confirmou que há crianças mortas após os disparos e dezenas de feridos, entre alunos e funcionários. Segundo a rede de TV CNN, o diretor e uma psicóloga da escola estariam entre as vítimas.

Atirador

Segundo a polícia, o atirador, identificado como Ryan Lanza, está morto, mas não foi determinado se ele foi morto pela polícia ou se cometeu suicídio. Ele teria usados duas armas, um revólver e uma pistola, que foram apreendidas, e um colete à prova de balas.

Agentes disseram que o criminoso seria um homem de 20 anos que teria relação com a escola, mas não especificaram que tipo de laço teria. Os agentes ainda investigam a hipótese da participação de um segundo atirador.

Um cordão de isolamento foi feito na frente do hospital e do quartel dos bombeiros onde se concentram as ações da polícia. A imprensa e parentes dos alunos da escola foram ao local.

A escola atingida tinha 39 professores e cerca de 650 alunos de educação infantil e primária, entre cinco e dez anos.

O caso assustou pais de alunos e moradores da cidade de 25 mil habitantes que fica a 120 km de Nova York.
 

continua após publicidade