Geral

Cúpula da América Central divulga nota em apoio a venezuelano

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 14 de dezembro (Folhapress) - Governantes da América Central expressaram seu apoio ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, na reunião de cúpula do Sistema de Integração Centro-Americano (Sica), que reúne os países da região, em Manágua, na Nicarágua. "Os chefes de Estado dos países membros do Sica expressamos ao presidente comandante Hugo Chávez Frías e ao povo bolivariano da Venezuela nossa profunda solidariedade neste momento difícil e nosso sincero desejo de recuperação rápida e plena", segundo declaração lida pelo anfitrião Daniel Ortega. "Os presidentes dos países-membros do Sica ratificam ao povo bolivariano da Venezuela, ao seu governo e ao seu presidente, a irmandade, o respeito e o carinho próprios dos que vivemos na Pátria Grande e acreditamos que um mundo com melhor diálogo, pacífico, justo e digno é possível", dizem na nota. A declaração foi assinada pelos governantes da Guatemala, Otto Pérez Molina, de El Salvador, Mauricio Funes, do Honduras, Porfirio Lobo e do Panamá, Ricardo Martinelli, além do anfitrião Ortega, principal aliado de Chávez na América Central. Também foi endossada pelo chanceler da Costa Rica, que representa a presidente Laura Chincilla, ausente da reunião, e do chanceler dominicano, que representa Danilo Medina, além do representante de Belize para a Guatemala e Nicarágua. Também hoje será celebrada uma missa em Caracas organizada pelo alto comando da Venezuela, incluindo o Ministério da Defesa, o Comando Estratégico Operacional e a Força Armada Nacional Bolivariana. Cirurgia Chavéz está internado em Havana, capital de Cuba, há dois dias. Ele se submeteu a uma cirurgia contra um câncer na região pélvica -a localização exata nunca foi informada. Essa foi a quarta cirurgia de Chávez, 58, em um período de um ano e meio. O ministro da Informação venezuelano, Ernesto Villegas, afirmou ontem que Chávez sofreu "complicações" relacionadas à operação. O chefe de Estado apresentou um sangramento e precisou ser submetido a "medidas corretivas". Mais cedo, o mesmo ministro tinha vindo a público informar que Chávez estava em em "condições estáveis". Ele disse ainda que "acompanham o presidente Chávez seus familiares mais próximos, que, de Havana, agradecem as manifestações de solidariedade" e pedem aos venezuelanos confiança "na fortaleza física e espiritual do comandante Hugo Chávez e no tratamento médico". Chávez foi reeleito no dia 7 de outubro e deveria tomar posse em 10 de janeiro.  

continua após publicidade