Geral

ONU condena à prisão perpétua militar sérvio

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 12 de dezembro (Folhapress) - O Tribunal Internacional Penal, vinculado à ONU, condenou hoje à prisão perétua o ex-chefe do Estado-Maior do Exército da Sérvia, Zdravko Tolimir, por genocídio no massacre de Srebrenica, durante a Guerra da Bósnia, em 1995.

Os juízes consideraram que o militar era o braço direito do então chefe militar sérvio, Ratko Mladic, que é considerado o responsável por organizar a operação que matou cerca de 8.000 homens e meninos islâmicos no leste da Bósnia.

O magistrado que presidiu a sessão, Christoph Fluegge, disse que Tolimir tinha conhecimento da matança e que também teria participado da ação.

"Ele tinha total conhecimento das ações desprezíveis que aconteceram em Srebrenica, apesar da presença de tropas holandesas que faziam parte das Forças de Paz da ONU (Organização das Nações Unidas)".

O major-general é o último militar sérvio a ser considerado culpado pelo genocídio, ocorrido no fim da Guerra da Bósnia (1992-1995), em que mais de 100 mil pessoas morreram. O massacre foi o pior em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial.
 

continua após publicidade