Geral

Premiê é preso por uso indevido de cartão corporativo

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 11 de dezembro (Folhapress) - O primeiro-ministro das ilhas Cayman, McKeeva Bush, foi preso hoje em meio a uma investigação sobre o uso indevido do cartão corporativo da ilha caribenha do Reino Unido, que é conhecida por ser um paraíso fiscal. Segundo as autoridades locais, o chefe de governo foi preso em sua casa por membros da Unidade de Crimes Financeiros da polícia, suspeito de abuso de confiança pelo uso do mecanismo de pagamento do governo para despesas pessoais. Além dos gastos indevidos no cartão corporativo, Bush também é investigado sob a acusação de contrabando de substâncias explosivas a Cayman sem a autorização do governo. A polícia não deu informações sobre o andamento das investigações dos dois casos. McKeeva Bush foi eleito primeiro-ministro das ilhas Cayman em maio de 2009, após o Partido Unido Democrático, a que pertence, ganhar 9 dos 15 assentos da câmara local. Ele é o membro mais antigo do Legislativo local, com 28 anos de mandato. O atual chefe de governo também já foi ministro das Finanças, do Turismo, do Meio Ambiente e dos Transportes. A investigação sobre as irregularidades de Bush começou no final de 2010 e uma novo inquérito foi aberto em abril deste ano. As ilhas Cayman são um território britânico com Parlamento próprio, mas com governo apontado pelo Reino Unido que cuida das relações exteriores e da segurança, incluindo a polícia. A chefe de Estado é a rainha Elizabeth 2ª. O arquipélago também é conhecido como paraíso fiscal. Alguns casos de lavagem de dinheiro investigados no Brasil passaram pelo território britânico, como recursos do fundo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, e o juiz federal João Carlos da Rocha Mattos, que vendia sentenças na Justiça federal paulista.  

continua após publicidade