Geral

EUA colocam grupo rebelde sírio em lista de terroristas

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 11 de dezembro (Folhapress) - Os Estados Unidos designaram hoje o grupo radical islâmico Jabhat al Nusra, suspeito de ligações com a Al Qaeda, como uma organização terrorista.

Ao definir o grupo como uma organização terrorista, o Departamento de Estado dos EUA essencialmente classifica a Jabhat al Nusra, que advoga por um Estado islâmico na Síria, como uma afiliada da Al Qaeda no Iraque.

O comunicado do Departamento de Estado diz que a secretaria de Estado conclui que há fatos suficientes para embasar a suposição de que a Al Qaeda usa ou usou outros nomes no Iraque, incluindo a Jabhat al Nursa.

Funcionários do Tesouro americano também impuseram sanções a Maysar Ali Moussa Abdallah al Joubouri e Anas Hassan Khatab, dois chefes da organização.

Com a medida, as autoridades americanas agora podem congelar quaisquer bens que o grupo ou seus membros têm nas jurisdições dos Estados Unidos e proíbe americanos de dar qualquer suporte material.

Milícias

Além de colocar o grupo em sua lista negra, os EUA tomaram medidas contra duas milícias ligadas ao governo de Bashar Assad, na Síria.

O Tesouro americano bloqueou bens do governo sírio ao impor sanções às milícias Jaysh al Shabi e Shabiha, além de dois líderes da Shabiha.

As ações desta terça foram tomadas enquanto funcionários do governo compareciam à reunião do grupo de países para discutir a Síria, chamado Amigos da Síria, em Marrakech, no Marrocos, para discutir o conflito que já dura 20 meses.

O Departamento do Tesouro justificou que as milícias são parte da campanha do regime de Assad contra cidadãos sírios. Em comunicado, disse também que a Jaysh al Shabi tem laços com o Irã e o Hizbollah.

"Os Estados Unidos continuarão a perseguir agressivamente aqueles que suplantam os desejos do povo sírios de conquistar um governo representativo que empregue violência contra seu próprio povo", disse David Cohen, subsecretário para terrorismo e inteligência financeira.

"Vamos continuar mirando as milícias pró-Assad da mesma maneira que aos terroristas que falsamente se cobrem com a bandeira de oposição legítima."

Funcionários do governo americano enfatizaram seua preocupação com a crescente influência de elementos extremistas no conflito sírio.

A secretária de Estado Hillary Clinton era esperada na reunião até ficar doente com um vírus estomacal. O vice-secretário de Estado Bill Burns irá em seu lugar.
 

continua após publicidade