Geral

Número de refugiados passa de 500 mil

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 11 de dezembro (Folhapress) - Mais de meio milhão de refugiados da Síria já se espalharam por países vizinhos, informou hoje o Alto Comissariado da ONU (Organização das Nações Unidas) para Refugiados. De acordo com os últimos dados divulgados em comunicado em Genebra, 425.160 sírios já foram registrados pelo órgão no Líbano, na Jordânia, no Iraque, na Turquia e no norte da África. Entre os registrados e os que pendem registro, o total é de 509.559 pessoas. Só no mês de novembro, uma média de 3.200 refugiados foram registrados por dia, e cerca de mil sírios cruzaram a fronteira para a Jordânia nas últimas duas noites, informou o comunicado. Um total de 154.387 pessoas fugiram para o Líbano desde início dos conflitos no país, 142.664 para a Jordânia, 136.319 para a Turquia, 65.449 para o Iraque e 11.740 para o norte da África. Além disso, existe um grande número de sírios que cruzaram a fronteira para os países vizinhos mas ainda não foram se registrar. Estima-se que sejam cerca de 100 mil na Jordânia, 70 mil na Turquia e no Egito e dezenas de milhares no Líbano, segundo dados da agência da ONU com base em levantamentos dos governos. "Ao contrário do que é a percepção pública, apenas 40% dos refugiados sírios registrados na região estão em acampamentos", disse a porta-voz do órgão, Melissa Fleming. "A maioria vive fora dos acampamentos, alugando alojamentos, com famílias que os acolhem ou em diferentes tipos de centros coletivos e alojamentos renovados", disse. No Líbano e no norte da África, por exemplo, não há acampamentos, e os refugiados vivem em comunidades urbanas e rurais. Na Jordânia, apenas 24% vive nos três acampamentos do país, enquanto no Iraque esse número representa 50%, também em três acampamentos. Segundo Fleming, a previsão é que o número de pessoas em acampamento aumente conforme se estenda o conflito, pois os recursos vão se esgotando e aqueles que acolhem os refugiados já não podem dar respaldo a um número tão grande de pessoas. Para ela, a chegada do inverno deve dificultar ainda mais a situação dos refugiados. Desde o início da revolta, em março de 2011, mais de 40 mil pessoas morreram na Síria, segundo grupos de ativistas.  

continua após publicidade