Geral

Acidente-SP - (Atualizada)

Da Redação ·

Motorista que atropelou 2 diz que dormiu ao volante SÃO PAULO, SP, 8 de dezembro (Folhapress) - O motorista que atropelou e matou uma mulher no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, no final da madrugada de hoje, disse em depoimento à polícia que dormiu na hora do acidente. Clarice da Costa, 56 e sua filha Camila Ariele Turolla, 27, embarcariam para Florianópolis (SC). De acordo com a polícia, elas tinham acabado de sair do carro na área de desembarque e se despediam dos familiares, quando o Honda Civic prata em alta velocidade subiu na calçada e atropelou as duas. Costa teve uma parada cardíaca e perda de massa encefálica. Ela foi reanimada pela equipe médica do aeroporto, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na chegada ao hospital Saboya. A filha dela fraturou a perna e passou por uma cirurgia durante a tarde. As câmeras de segurança da Infraero captaram o momento exato do acidente. O motorista, Wagner Alves Alvarenga, 23, disse em depoimento à polícia que havia saído de uma festa de confraternização da empresa e que consumiu bebida alcoólica. Segundo os relatos, após deixar a festa, ele parou no parque do Ibirapuera com um amigo e dormiu no carro para repousar e poder voltar para casa. No caminho de volta, ele diz que se perdeu na avenida 23 de maio e resolveu entrar no aeroporto para fazer o retorno. Alvarenga afirma que pegou no sono neste momento e só recuperou a consciência após a batida. Após o teste do bafômetro, a porcentagem de álcool encontrada em seu sangue era de 0,28 mg por litro de sangue. Índices superiores a 0,13 mg são considerados infração. Ele foi preso e será indiciado sob suspeita de homicídio doloso (quando há intenção de matar). Alvarenga foi levado para o 2º DP (Bom Retiro) na tarde de hoje e permanecerá preso até amanhã, quando será transferido para um presídio. De acordo com a polícia, a documentação do carro estava em ordem e o rapaz não tinha antecedentes criminais.  

continua após publicidade