Geral

Mapa combate cama de aviária como alimento para ruminantes

Da Redação ·

Visando prevenir a Encefalopatia Espongiforme Bovina, conhecida como a “Doença da Vaca Louca”, a Superintendência Federal de Agricultura no Paraná (SFA/PR) intensificou os trabalhos de fiscalização no uso da cama de aviário na alimentação de ruminantes no Estado.

A partir de denúncias do uso indevido de cama de aviário na alimentação do gado, na semana de 18 a 20 de agosto, fiscais federais agropecuários do Serviço de Sanidade Animal da SFA/PR realizaram blitz nos municípios de Astorga, Jandaia do Sul, Borrazópolis e São Pedro do Ivaí, ocasião em que flagraram cinco produtores utilizando a alimentação proibida, gerando a interdição de 280 animais.    

Caso os resultados dos exames laboratoriais emitidos pelo Laboratório Oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) confirmem a presença de subprodutos de origem animal no alimento do gado, esses animais serão abatidos em frigorífico oficial inspecionado, que fará a remoção dos materiais de risco específico, não cabendo, nesse caso, indenização ao produtor.

No Paraná, desde o início do ano, 477 animais foram flagrados sendo alimentados com subprodutos de origem animal proibidos, e 85 já foram abatidos. Também foram apontadas irregularidades em propriedades dos municípios de Porto Rico, Querência do Norte, Centenário do Sul e Marumbi.

A produção, comercialização e utilização de produtos destinados à alimentação de ruminantes - bovinos, ovinos, caprinos e bubalinos - que contenham em sua composição proteínas e gorduras de origem animal, inclusive a cama de aviário e os resíduos da criação de suínos, estão proibidos em todo o território nacional desde 2004.

Segundo a Fiscal Federal Agropecuária que participou da blitz, Ellen Laurindo, os abates e interdições dos animais são necessários. “Não podemos deixar brechas e descuidos de alguns produtores comprometerem a qualidade de todo o rebanho paranaense e de toda uma cadeia produtiva no país, por isso mantemos um constante trabalho de fiscalização, bem como de orientação e conscientização dos pecuaristas”, afirma ela.

Denúncias sigilosas poderão ser feitas na Ouvidoria do MAPA pelo telefone 0800 704 1995.

continua após publicidade

FONTES:

- (MAPA) Ministério da Agricultura
- (CSA) Conselho de Sanidade Animal
- (SEAB) Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento