Geral

Casa de garota criadora do "Diário de Classe" é apedrejada

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 7 de novembro (Folhapress) - A Polícia Civil de Santa Catarina investiga um ataque à casa da estudante Isadora Faber, 13, autora do "Diário de Classe", página virtual criada para mostrar problemas da escola pública onde estuda, em Florianópolis.

Segundo o delegado Leonardo Silva, a casa da família foi apedrejada na noite de anteontem. A avó da garota, de 65 anos, que estava próxima ao quintal, ficou ferida no rosto.

Isadora escreveu sobre ocorrido em seu diário virtual, que conta com 370 mil seguidores no Facebook. Ela suspeita que tenha sido uma represália a críticas publicadas na página. "Ontem à noite, teve uma chuva de pedras em casa, uma delas atingiu minha vó de 65 anos que sofre de uma doença degenerativa."

"Incrível como tem gente ignorante, gente que não tem [o] mínimo de decência. Alguns coitados pensam que são donos de tudo e da verdade, pensam que podem nos intimidar, mas não vão conseguir", afirmou a estudante.

Os pais da menina registraram boletim de ocorrência por dano e lesão corporal. Silva diz que a polícia investiga a autoria do ocorrido, mas que ainda não há suspeitos. Essa não é a primeira vez que a família de Isadora Faber precisa ir à delegacia após a criação do "Diário de Classe". Em setembro, a aluna foi chamada para depor após uma professora a acusar de calúnia e difamação.

"Temos vários boletins de ocorrência que foram registrados. A maioria foi arquivado porque não houve representação [criminal]", afirma Silva.

Após o ocorrido, a família procurou o Ministério Público Estadual. O órgão diz que irá acompanhar o caso.
 

continua após publicidade