Geral

Donald Trump diz que reeleição de Obama foi uma farsa

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 7 de novembro (Folhapress) - O multimilionário norte-americano Donald Trump postou uma série de recados no Twitter contra a reeleição de Barack Obama, logo após o resultado ser divulgado, nesta madrugada. "Não podemos deixar isso acontecer. Deveríamos marchar até Washington e acabar com essa farsa", disse o magnata, que ensaia lançar candidaturas em todas as eleições presidenciais americanas. Durante a campanha, Trump não ocultou sua torcida pelo republicano Mitt Romney. Ele insinuou diversas vezes que Obama teria nascido fora dos EUA -o que o impossibilitaria de ser presidente do país. Para aplacar os rumores, Obama chegou a divulgar sua certidão de nascimento. O presidente reeleito dos EUA nasceu em Honolulu, no Havaí, filho de uma americana e um queniano. Após a vitória do candidato democrata, Trump seguiu com seus ataques a Obama e ao sistema eleitoral norte-americano. Segundo ele, o mundo está "rindo" dos EUA por conta da reeleição. "Vamos lutar e impedir essa grande e nojenta injustiça!", conclamou. "Não somos uma democracia. O colégio eleitoral é um desastre para a democracia", disse o magnata do ramo imobiliário, famoso também como apresentador do programa de TV "O Aprendiz". Jornais Os principais jornais americanos destacaram hoje a vitória do presidente democrata Barack Obama, reeleito para um segundo mandato. Ao redor do mundo, jornais de outros países também dedicaram suas capas ao candidato vitorioso nos Estados Unidos. O maior jornal dos EUA, o "New York Times", disse que a noite de ontem foi "a noite de Obama". Nos outros principais jornais do país, o "Washington Post" utilizou a manchete "Obama vence", a mesma do "Wall Street Journal". Para o "USA Today", a vitória foi um "triunfo". O "Boston Globe" anunciou um "segundo mandato para Obama". O "Chicago Tribune" também lembrou a continuidade, com a manchete "reeleito". O "Los Angeles Times" disse que os Estados-pêndulo deram ao presidente a chance de continuar à frente do país. Na Flórida, um dos principais Estados-pêndulo americanos, tanto o "Miami Herald" quanto o "Nuevo Herald", diário em espanhol voltado à comunidade hispânica, deram a reeleição do presidente como capa. Na Europa, muitos jornais não conseguiram cobrir a vitória de Obama em suas edições de hoje, devido a diferença de horário entre o continente e os Estados Unidos. Entre os que fecharam depois do resultado oficial, a capa mais simbólica é a do britânico "The Times", com uma grande foto do presidente americano ao lado dos dizeres "mais quatro anos". Na América Latina, o argentino "Clarín" foi um dos que dedicaram a capa à vitória de Obama, enquanto o jornal mexicano "El Universal" anunciou "vence Obama".  

continua após publicidade