Geral

Frio aflige vítimas de Sandy; mortos chegam a 112

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 4 de novembro (Folhapress) - A dois dias das eleições presidenciais nos Estados Unidos, vítimas da tempestade Sandy lutavam para se proteger do frio hoje em meio à escassez de combustível e falta de energia na Costa Leste do país. Durante a noite de ontem e a madrugada de hoje, temperaturas geladas atingiram o Nordeste dos EUA e pelo menos duas novas vítimas foram encontradas em Nova Jersey - uma delas morta de hipotermia. O governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo disse que, à medida que o tempo frio chega ao Estado, dezenas de milhares de pessoas afetadas pelo Sandy podem precisar de moradia em breve. Uma das piores tempestades da história dos Estados Unidos, Sandy já fez com que o número de mortos chegasse a pelo menos 112 pessoas. Além dos EUA, o Sandy causou uma morte no Canadá e 67 no Caribe, principalmente em Cuba e no Haiti. Combustível e eletricidade Provisões de combustíveis continuam a ser levadas às regiões afetadas pelo desastre e a eletricidade vai aos poucos sendo restaurada em bairros às escuras, mas a situação ainda é precária. O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse que levará dias para que a energia seja restaurada por completo e que termine a escassez de combustíveis. Cuomo disse que a situação de escassez de combustível está melhorando, mas que os problemas persistirão por "alguns dias". Cerca de 38% dos postos de gasolina da cidade de Nova York não dispunham de provisão no sábado, segundo a agência governamental de informação de Energia (EIA). Na sexta, o desabastecimento chegava a 67%. Ontem, o prefeito Bloomberg disse que 194 mil dos 460 mil usuários que estavam sem eletricidade na sexta-feira já haviam recuperado o serviço. Os usuários mais afetados estão na zona residencial de Queens e a maior parte de Manhattan já conta com provisão de eletricidade. Menos burocracia O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu que as autoridades de respostas a emergências cortem a "burocracia" e trabalhem sem atraso para ajudar as áreas devastadas pela tempestade Sandy a retornarem ao normal o mais rápido possível. "Não há nada mais importante do que consertar esses estragos", disse o presidente em uma reunião por videoconferência com oficiais da agência de Administração Federal para o Gerenciamento de Emergências (Fema, na sigla em inglês), do Departamento de Segurança Interna e governos estaduais e locais. Com a eleição presidencial daqui a dois dias, a tempestade mudou alguns focos na disputa entre Obama e o republicano Mitt Romney. Enquanto o desastre natural garantiu ao presidente a oportunidade de crescer na corrida presidencial, também exige que sua administração mostre capacidade de responder de forma rápida e eficaz durante uma crise. "Ainda temos um longo caminho para garantir que as pessoas de Nova Jersey, Connecticut, Nova York e algumas áreas próximas tenham suas necessidades básicas atendidas", disse o presidente.  

continua após publicidade