Geral

EUA tentam contornar falta de luz e combustível causadas por Sandy

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 3 de novembro (Folhapress) - Depois da passagem da tempestade Sandy pelos Estados Unidos, que deixou mais de 90 mortos, o país está tentando retornar à vida normal. Há boas notícias, como a volta da energia elétrica em parte de Nova York hoje. Cerca de 100 mil imóveis em Manhattan e outros 122 mil no Brooklyn, dois distritos bastante afetados pelo fenômeno, tiveram o fornecimento de energia normalizado.

Nem todos, porém, têm motivos para comemorar. Cerca de 2,7 milhões de imóveis permanecem sem energia elétrica, em 15 Estados diferentes do país. O clima, que antes era de compreensão por causa da tragédia, parece estar mudando para uma revolta com as autoridades pela demora no reestabelecimento dos serviços.

De acordo com companhias elétricas das áreas atingidas, é possível que a eletricidade só seja restaurada totalmente nos locais afetados dentro de mais uma semana. Em Nova York, há relatos de famílias que já têm energia elétrica que estão abrigando amigos que não tiveram a mesma sorte.

A procura por combustível continua intensa, com inúmeras filas sendo formadas nos postos de abastecimento em Nova York e Nova Jersey.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, ordenou que fosse feito um racionamento de combustível em 12 cidades, para evitar desperdícios.

O esquema que Christie instalou faz com que, nessas cidades, moradores cujos carros terminam em número par só possam abastecer em dias pares. A mesma coisa vale para placas ímpares em dias ímpares.

Na região, estão ocorrendo saques. De acordo com a CNN, um homem teve sua pequena loja de reparação de motores roubada. Os saqueadores levaram todas as suas ferramentas.

Em Staten Island, o distrito de Nova York que tem o maior número de mortos registrados até agora, com 20 baixas, a Cruz Vermelha foi enviada para ajudar nas necessidades básicas dos moradores da região. Eles afirmam terem sido esquecidos pelas autoridades.
 

continua após publicidade