Geral

Campanha tem recorde de anúncios; Estado-chave mostra empate

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 2 de novembro (Folhapress) - Duas pesquisas divulgadas hoje confirmaram o alto grau de disputa da corrida pela Casa Branca nas eleições deste ano.

Um estudo mostrou que a corrida presidencial deste ano teve mais publicidade política do qualquer outra eleição nos EUA. E uma nova pesquisa de intenção de voto mostrou empate na preferência eleitoral em um Estado-chave para a vitória no dia 6.

Segundo um levantamento da Wesleyan Media Project (ligado a universidades americanas), mais de 1,1 milhão de anúncios foram veiculados nessa campanha pelos partidos de Barack Obama (democrata) e Mitt Romney (republicano).

O total é quase 40% superior ao montante veiculado na eleição presidencial passada.

Segundo o Wesleyan Media Project, os anúncios pró-Obama superam os anúncios pró-Romney por uma diferença inferior a 50 mil.

Ohio

O presidente e candidato à reeleição Barack Obama tem 50% de intenção de voto ante 47% do rival Mitt Romney no Estado de Ohio, conforme a pesquisa da rede americana CNN (em parceria com o instituto ORC International) divulgada hoje.

Pela margem de erro dessa pesquisa (3,5 pontos percentuais), os candidatos estão tecnicamente empatados.

O resultado não difere muito de uma pesquisa anterior, divulgada em outubro, que também mostrava a ligeira vantagem para Obama (50% a 46%).

Ohio, um dos Estados indecisos, representa 18 votos no Colégio Eleitoral cruciais na corrida presidencial. Não surpreende, portanto, que a campanha de Obama planeje passar pela região nos próximos três dias.

Já o republicano deve visitar Wisconsin amanhã, outro Estado indeciso que será fundamental (dez votos no colégio eleitoral) para a vitória.

Emprego

Em Ohio, Obama reforçou que a pesquisa oficial de emprego divulgada hoje mostrou evidência de que os EUA "têm feito progressos reais".

"Eu sei que nós estamos perto de uma eleição, mas isto não é um jogo. Trata-se dos trabalhos das pessoas, das vidas das pessoas. Nós não vamos aterrorizar os americanos que trabalham duro somente para ganhar alguns votos", disse ele, numa crítica indireta ao adversário republicano.

Um relatório oficial divulgado hoje mostra que a taxa de desemprego dos EUA subiu de 7,8% para 7,9% entre setembro e outubro. Também revelou que a economia teve uma geração de 171 mil postos de trabalho no mês passado, em um desempenho considerado acima das expectativas.

"A taxa é mais alta que quando o presidente Obama assumiu o governo, e ainda há 23 milhões de americanos sem emprego", rebateu Romney, por meio de uma nota divulgada por sua equipe de campanha.
 

continua após publicidade