Geral

Tribunal rejeita processo movido por irmão de ativista

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 2 de novembro (Folhapress) - O irmão do ativista Chen Guangcheng disse hoje que um tribunal da China rejeitou o processo que ele moveu contra as autoridades, por terem invadido sua casa depois que Chen escapou de sua prisão domiciliar em abril.

Entre 2006 e 2010, Chen ficou preso por organizar um protesto contra a política do filho único na China. Quando finalmente cumpriu sua sentença, ele continuou sob prisão domiciliar, até que fugiu de sua casa em 2012. O caso ganhou grande repercussão internacional, já que Chen se refugiou na embaixada americana em Pequim. Mais tarde, ele foi transferido para Nova York.

Depois que o ativista fugiu de casa, policiais invadiram a casa de seu irmão, Chen Guangfu, procurando por ele. No entanto, na época, Chen já estava na embaixada americana.

Segundo o irmão do ativista, o tribunal de Yinan negou sua ação contra as autoridades responsáveis pela invasão domiciliar, sob o pretexto de que a reclamação não tinha base legal. Para a Justiça, o processo "não poderia ser provado pelas evidências", disse Chen Guangfu.

Ele é o irmão mais velho de Chen Guangcheng. A família do ativista, que permanece na China, sofre consecutivas pressões das autoridades locais. Chen Kegui, filho de Chen Guangfu e sobrinho do ativista, está atualmente preso por ter atacado policiais com uma faca de cozinha durante a polêmica busca na casa.

É comum que a Justiça chinesa rejeite ações movidas por dissidentes ou por seus amigos e familiares.

Nos Estados Unidos, Chen Guangcheng está atualmente estudando Direito.
 

continua após publicidade