Geral

Dilma sugere ação conjunta para conter violência no Estado

Da Redação ·





Por Fernanda Odilla

BRASÍLIA, DF, 1 de novembro (Folhapress) - O governo federal e o governo de São Paulo vão elaborar uma estratégia conjunta para conter a onda de violência no Estado. Por telefone, na tarde de hoje, a presidente Dilma Rousseff sugeriu ao governador Geraldo Alckmin que o governo federal e o governo de São Paulo atuassem juntos. Segundo a ministra de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas, Alckmin aceitou a oferta para elaborar um plano integrado de segurança pública.

Contudo, detalhes da ação conjunta serão definidos somente na próxima semana. Segundo Helena Chagas, no telefonema não foi tratado como seria o plano integrado. "Foi uma conversa mais genérica, mais geral", explicou a ministra. Caberá ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, representar o governo federal e acertar que tipo de parceria será firmada.

Entre as ações conjuntas a serem discutidas, por exemplo, estão a ocupação de áreas críticas como Paraisópolis pela Força Nacional de Segurança e pelo Exército. A Polícia Federal também pode ser escalada para ajudar a conter a violência em São Paulo. "O mais importante é ajudar a população".

A oferta da presidente vem depois que o Ministério da Justiça rebateu as afirmações do secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, que disse à Folha de S.Paulo que o governo federal não ofereceu ajuda ao Estado para conter o avanço da violência.

Segundo a nota do ministério, foi ofertado apoio na área de segurança pública "em diversas oportunidades" e "é inaceitável, além de inverídica, a afirmação de que a elevação da violência em São Paulo deriva do descontrole nas fronteiras".
 

continua após publicidade