Geral

Polícia vai indiciar mãe e filho por maus-tratos a cães

Da Redação ·

RIO DE JANEIRO, RJ, 1 de novembro (Folhapress) - A Polícia Civil do Rio vai indiciar a proprietária da pet shop "Quatro Patas" e o filho dela sob suspeita de serem autores dos crimes de maus-tratos sofridos pelos animais levados para tomar banho no estabelecimento. Novos vídeos divulgados pelo Ministério Público do Estado mostram Solange Barroso maltratando os animais. A promotora Christine Monnerat encaminhou as provas para a polícia, que os incluiu no inquérito aberto no caso. Até então, de acordo com o delegado José Fagundes de Rezende, ela só seria indiciada por omissão. Com as novas provas, o caso poderá ser analisado pela Justiça comum e as penas somadas. "Os dois poderão pegar até sete anos de prisão", disse o delegado. Segundo Rezende, um mandado será expedido na próxima semana para novo depoimento da dona do estabelecimento. Além disso, ela será obrigada a apresentar os livros de controle de entrada e saída dos animais. O delegado ainda deverá ouvir mais três testemunhas no caso. Uma delas será uma ex-funcionária que trabalhou por apenas um dia na pet shop. O inquérito, segundo ele, deverá ser concluído em até duas semanas e depois remetido ao Ministério Público. No primeiro depoimento à polícia, Solange, de acordo com Rezende, negou que sabia dos maus-tratos cometidos pelo filho Daniel Barroso. Ele, por sua vez, usou o direito de não falar à polícia. A Folha de S.Paulo não conseguiu falar hoje com Solange e o filho. O caso ganhou repercussão depois que um ex-empregado divulgou imagens gravadas há cinco meses. O estabelecimento fechou no dia seguinte à divulgação das imagens. A Prefeitura do Rio suspendeu, temporariamente, o alvará da loja e o proprietário do prédio cancelou o contrato de aluguel, em vigor havia três anos. A placa que dava referência telefônica foi tirada pelos responsáveis do estabelecimento.  

continua após publicidade