Geral

Juiz decreta prisão de suspeitos da chacina na Chatuba

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 1 de novembro (Folhapress) - A Justiça decretou ontem a prisão preventiva de 14 acusados de envolvimento na chacina da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O grupo teria sequestrado e assassinado, no dia 8 de setembro, seis jovens, confundidos com traficantes de uma facção rival. Os corpos foram encontrados dois dias depois, às margens da rodovia Presidente Dutra, na altura de Nova Iguaçu. Ao receber a denúncia do Ministério Público e decretar a prisão preventiva do grupo, o juiz Márcio Alexandre Pacheco da Silva, da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, afirma que a medida é "imprescindível para garantir a vida das testemunhas e impedir a reiteração de ações de extermínio". Os acusados, que participariam de uma quadrilha de traficantes de drogas no Bairro da Chatuba, em Mesquita, vão responder por homicídio triplamente qualificado - por motivo torpe, mediante tortura ou outro meio insidioso ou cruel e com recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima. Em sua decisão, o juiz afirma que as condutas atribuídas aos acusados são extremamente graves, pois teriam sido praticadas com "alto nível de crueldade, sendo as vítimas amarradas, esfaqueadas, martirizadas e executadas com disparos de armas de fogo". Ainda de acordo com o juiz, "há notícia nos autos que os denunciados impõem um verdadeiro terror na localidade" e que "dispõem de farta quantidade de drogas e armas, inclusive fuzil 762 e submetralhadora 9mm". Isso, segundo o juiz, deixa evidente a "necessidade da prisão preventiva como garantia da ordem pública, conveniência da instrução criminal e assegurar a aplicação da lei penal". Os seis jovens, com idades entre 16 e 19 anos, foram mortos porque foram identificados como moradores de um morro dominado pelo Terceiro Comando, facção rival ao Comando Vermelho, que está na Chatuba. Depois de matar os seis jovens, o grupo chefiado por Remilton Moura, o Juninho, colocou os corpos em uma carroça e os transportou por um trecho da rodovia Presidente Dutra até um terreno, onde foram jogados. Imagens de câmeras de segurança na região mostram dois homens guiando a carroça com os corpos pelo acostamento da rodovia.  

continua após publicidade