Geral

Júri do casal Nardoni entra em seu terceiro dia hoje

Da Redação ·
 Ontem manifestantes se concentraram em frente ao fórum de Santana
fonte: imgs.uai.com.br
Ontem manifestantes se concentraram em frente ao fórum de Santana

O julgamento de Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni entra em seu terceiro dia nesta quarta-feira (24) no Fórum de Santana, na Zona Norte da capital. A expectativa é que ele seja reiniciado às 9h. O júri do casal, acusado de matar Isabella, deve se estender até o fim da semana.

continua após publicidade

 
Isso porque mais de dez pessoas ainda devem ser convocadas a depor. Preocupada, a defesa já pensa em um modo de acelerar o julgamento. "Não é bom para a defesa a demora. A defesa é a última que fala. Os jurados vão estar cansados", diz Roberto Podval. Nesta quarta, ele pode lançar mão de alguma estratégia, como tentar dispensar alguma testemunha.

Para o promotor Francisco Cembranelli, no entanto, não há atraso, e sim um esclarecimento maior aos jurados. "Essas pessoas vêm sendo criticadas por gente que não entende nada de nada. Isso ficou categoricamente provado."

continua após publicidade

Quatro testemunhas já prestaram depoimento. No primeiro dia, apenas Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabela, falou. A pedido da defesa, a bancária foi colocada à disposição da Justiça. Ela deve permanecer no fórum, incomunicável, até a realização de uma possível acareação com os réus.
 
Nesta terça, a delegada Renata Pontes, o médico-legista Paulo Sergio Tieppo Alves e o perito baiano Luiz Eduardo de Carvalho também responderam a perguntas do juiz, da acusação, da defesa e dos jurados. A defesa do casal Nardoni também pediu -e o juiz aceitou - que a delegada Renata Pontes fique à disposição da Justiça.
 
Maquetes do edifício London e do apartamento do casal acabaram sendo utilizadas. Os jurados também viram fotografias da menina após a morte.
 
Mais uma vez, houve emoção. A avó materna de Isabella teve de deixar a sala após ver imagens da garota. 
 
Nesta quarta, a perita Rosângela Monteiro, do Núcleo de Crimes Contra a Pessoa, que fez o laudo sobre a cena do crime, será a primeira a ser ouvida.