Geral

Costa leste começa recuperação, enquanto Sandy perde força

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 31 de outubro (Folhapress) - A costa leste dos Estados Unidos começa hoje a retomar suas atividades e inicia a reconstrução das áreas devastadas pela tempestade Sandy, que deixou 40 mortos desde segunda-feira. O fenômeno perde força e segue em direção ao norte americano e o Canadá. O prejuízo causado pela tormenta ainda será determinado. Segundo uma estimativa do governo divulgada pela emissora CNN, os danos causados pelos ventos já somam US$ 7 bilhões (R$ 14 bilhões). Analistas estimam que o impacto econômico total poderá superar os US$ 25 bilhões. Na cidade de Nova York, uma das mais afetadas pelas inundações, dois dos três aeroportos -John F. Kennedy e Newark- voltam a funcionar ainda hoje, permitindo a saída de milhares de pessoas que tiveram que esperar a tempestade passar. No entanto, o aeroporto de La Guardia, que teve a pista alagada, permanecerá fechado. Cerca de 19 mil voos foram cancelados desde domingo. A bolsa de valores da cidade, a mais importante do mundo, também retoma suas atividades, mesmo com as dificuldades encontradas por trabalhadores para poder chegar ao trabalho. O metrô e os trens suburbanos, que tiveram seus túneis alagados, não deverão operar antes do fim de semana. Devido aos problemas de transporte, a cidade deverá enfrentar engarrafamentos e os moradores terão que andar longas distâncias a pé. Enquanto isso, continua a retirada de água de prédios da parte baixa da ilha de Manhattan, que ainda tem 250 mil pessoas sem energia elétrica devido à explosão de uma subestação na noite de segunda. A Associação de Teatros informou que as peças da Broadway deverão ser retomadas nesta quarta, após três dias de cancelamento. A tradicional parada de Dia das Bruxas, prevista para hoje, foi adiada. Segundo as autoridades, 27 pessoas morreram em todo o Estado de Nova York, sendo 22 só na cidade homônima. Nova Jersey O Estado de Nova Jersey, onde sete pessoas morreram e também há grande destruição, receberá nesta quarta a visita do presidente Barack Obama, que fiscalizará os trabalhos de reconstrução. A região foi onde a tempestade, ainda na categoria de ciclone, tocou terra na noite de segunda. O mandatário será acompanhado pelo governador republicano Chris Christie, um dos principais adversários do democrata, que, apesar da rivalidade, elogiou a rápida resposta do governo federal à tormenta. Christie disse que deverá levar dez dias para que a energia elétrica de todos os 2,4 milhões de cidadãos afetados seja retomada. Cerca de mil pessoas foram resgatadas de áreas inundadas por helicópteros do governo estadual. Na terça, o governador sobrevoou a costa da região e viu uma série de barcos à deriva, orlas destruídas e grandes bancos de areia nas estradas. O governador se impressionou com a devastação. "Estive aqui neste verão e o que aconteceu aqui foi inacreditável". Em todo o país, pelo menos 40 pessoas morreram e mais de 8 milhões estão sem energia elétrica em 19 Estados, que sofreram com inundações, nevascas e ventos fortes. Fenômeno Segundo o último informe do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, divulgado às 5h locais (7h em Brasília), Sandy perdeu força e está no nível de depressão pós-tropical sob o sudoeste do Estado da Pensilvânia. O órgão meteorológico informou que a tempestade perdeu as características de um ciclone, mas ainda poderá causar temporais na região dos Grandes Lagos, enchentes e ventos fortes em toda a costa leste. Também estão previstas nevascas nos montes Apalaches e nos Estados de Maryland, Virgínia Ocidental, Tennessee e Carolina do Norte.  

continua após publicidade